Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CAFÉ AMARGO

ADOÇADO (OU NÂO) COM PEQUENAS NOTAS ...

CAFÉ AMARGO

ADOÇADO (OU NÂO) COM PEQUENAS NOTAS ...

Outono

O Outono atreve–se a mergulhar na luz e no brilho do sol que perdura, ainda que ameno, e encanta-se com o colorido do verão que resiste à mudança de estação.

P1060544alvorca.jpg

A estreia no euro 2016...

A estreia no Euro 2016 ainda agora aconteceu. Não foi o resultado por que esperávamos. Ficou no ar um desencanto, mas nada está perdido. Se olharmos para o empate que resultou, podemos encará-lo com otimismo, pois trouxemos um ponto contra uma Islândia que não é tão fraca como se dizia, pois, afinal, até eliminara a Holanda na fase de apuramento. Fechada na defesa, foi difícil rematar com sucesso na baliza islandesa. Estes lá conseguiram correr até à baliza de Rui Patrício e empatar o jogo, o que certamente era um resultado que lhes convinha. Se analisarmos com pessimismo, o resultado foi um balde gelado na expetativa dos adeptos portugueses.  Agora, vencer é preciso. Resta pensar que cabeça fria, pés ligeiros e certeiros, tranquilidade e discernimento da Seleção de Portugal podem fazer toda a diferença no jogo contra a Áustria, no próximo sábado.  Cá estaremos para ver...

mariam

Os dias de invernia

O outono, que trouxe consigo o prenúncio da invernia, ficou para trás. Sem demoras, o inverno acomodou-se, fez-se dono do tempo e vai espalhando o tom encinzeirado que o vento e a chuva, seus companheiros de estadia, carregam para imporem a fraqueza de um sol que, envergonhado, se esconde por trás de cortinas pardacentas que as nuvens agitadamente expõem pela atmosfera. E, no cenário pesado, cinzentão e húmido que domina, somos envolvidos pela invernia feroz, fria e persistente que toma conta dos dias.

Dos Santos ao Natal ou bom chover ou bem nevar

Outono carrega consigo a riqueza dos seus matizes e, enquanto espalha e fixa, por toda a natureza, o castanho seco e o amarelo envelhecido da sua inigualável paleta de cores, o vento e a chuva, seus companheiros de sempre, vão tomando conta dos dias para, definitivamente, marcarem o fim do encantamento outonal e ameno com que os nossos sentidos se sentem privilegiados. Um tom plúmbeo e pesado instala-se, envolve novembro no lento definhamento dos seus dias e presenteia-nos com o vento e a chuva, incessantes, que trazem o prenúncio da invernia. E, no cenário em tons de cinzento e húmido, novembro faz jus ao adágio popular: "Dos Santos ao Natal, ou bom chover ou bem nevar".

mariam in http://momentodocafe.blogs.sapo.pt/ (excerto editado)

Outono revisitado

Mas não tarda muito e o outono consciencializa-se de que é dono do seu tempo e, cumprindo-o, desenvencilha-se da réstia de sol e do calor, enlaça-nos na ventania fria, desagradável e violenta que, sobre o chão, vai estendendo o tapete de folhas soltas e secas que só a natureza, na sua paleta de cores, sabe matizar na conjugação perfeita das tonalidades outonais. Silenciosamente, o outono vai manifestando a sua essência e sua vontade e, já sem disfarces, toma conta do seu destino, lançando a atmosfera outonal que nos envolve na chuva fria, insistente e indesejada que nos encharca o corpo e a alma, que nos definha os dias num prenúncio do inverno...

mariam in http://momentodocafe.blogs.sapo.pt (excerto editado)

cerejeira outono.jpg

Maio e caju

Maio, que corre agradável e marcado pelo sol quente, faz recordar o refrescante e suculento caju, saboreado à sombra fresca do generoso cajueiro* na berma da estrada, em dia quente de África…

                                                        mariam

Resultado de imagem para caju

*imagem retirada em http://revistagloborural.globo.com/Revista/Common/0,,EMI176211-18293,00-CAJU.html

 

Outra primavera que começa...

A primavera chega e sente-se a renovação que a natureza "sofre" para que se cubra de tonalidades alegres toda a extensão florida que desponta por entre o verde viçoso que vai tomando conta dos montes, dos campos, e dos jardins tão cansados do inverno frio e triste que parte sem deixar saudades. Desejava-se, ansiosamente, a chegada da primavera com os seus dias radiosos e o despertar da natureza que provocam um novo vigor ao corpo e dão bem-estar à alma. Respira-se a serenidade e tudo parece encaixar-se num novo ciclo de vida. O tom acinzeirado e invernoso vai perdendo para o colorido vivaz e primaveril, enquanto o som do vento e da chuva dá lugar aos chilreios e zuídos que cruzam o céu, agora mais sereno e azulado. E, como acontece em cada primavera que começa, há vida, há a esperança que se renova...

mariam

in http://apontamentosdamariam.blogspot.pt/

P1000530lilasliriosmariam.jpg

África com leveza

 

 

África ficou para trás, no passado, mas sabe bem recordar as imagens que ficaram do tempo de infância e juventude, quando o "tempo" corria sem que déssemos por ele. Éramos os donos desse tempo como das nossas correrias pelo morro abaixo para um mergulho no mar, do nosso jogo do mata, sempre tão competitivo e briguento porque ninguém queria perder, da tranquilidade no jogo da macaca riscado no alcatrão da rua que tínhamos como nossa, das nossas loucas descidas em patins, em plena liberdade, com a “rápida rabiosca” que fazíamos antes da curva do miradouro para ficarmos preparados para subir novamente e iniciar outra corrida. Nesse tempo, os problemas ainda não nos pertenciam, não havia medos, nem do futuro que tínhamos pela frente, ainda não sabíamos que a vida não era aquela simplicidade como a viviámos, não complicávamos nada, tudo era encarado com leveza.

mariam